segunda-feira, 22 de março de 2010

Lugares sem destino

Caminhei por todos os cantos do meu humilde ambiente e vislumbrei lugares singelos....luminosos...escuros ou simplesmente pouco perfeitos, diria apenas seguros. No meu pequeno mundo vejo-te passear em mim como uma leve pena que voou, voou e voou...uma pena que deixou escapar a felicidade e se redimiu à solidão.
Solidão....o que significará isso? Não sei....Hoje, ninguém vive só....nas ruas, nas salas do conhecimento paradigmático existem mil mundos por desvendar e mil corações por conhecer.
Olho a janela e reconheço que o meu passado é apenas um passado...qualquer....Que um dia significou demais e hoje significa de menos. Ontem, olhando o mar, vislumbrando o pôr-do-sol junto de um porto de abrigo, senti-me segura. Hoje, começo a reconhecer como tudo é bem mais bonito agora. Agora, que vivo comigo, sem ti....sou feliz....só e apenas só, porque aprendi a voar muito longe sem partida nem chegada....diria talvez sem destino.

4 comentários:

Anônimo disse...

"A coragem não admite falsificação." NB

Zara Mesquita disse...

Gostei :) A coragem, não admite falsificação...quem és tu - NB?

Zara Mesquita disse...

NB - Napoleão Bonaparte....agora só me falta saber quem é o anónimo...:)

JL disse...

Provavelmente é Napoleão, o próprio. :)