sábado, 7 de junho de 2008

Saudades do Amor

Tenho saudades de um beijo, de um carinho....Tenho saudades de me sentir amada.....Neste momento posso dizer que amo o desconhecido....Amo-te docemente.....mas sei que este amor terá um fim com os dias contados.....este meu amor não me olha do mesmo modo....sei que um dia este sentimento doce vai desvancecer e evaporar no tempo por falta de alimento.....um dia quando menos se espera o amor morre e às vezes transforma-se num oposto terrivel que esfria a alma de quem amámos....
Por agora deixa-me dizer-te que te amo há quase um ano.....talvez pudesse dizer que sempre te amei....sempre fugi deste meu sentimento por ti e agora que o demonstro com todo o meu furor parece que é tudo em vão.....não adianta....sinto uma dor que não sara e que corroi a alma por saber que me apaixonei por um amigo de longa data.....Devia ser proibido amarmos amigos.....Tu vês-me como uma grande amiga, ajuda-me a ver-te assim também? Ajuda-me a não te amar?

3 comentários:

pecado original disse...

Doi não doi..

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

Se as coisas fossem fáceis, que sabor teriam?... e que tal declarar-se ao rapaz?

DRACULEA Café Bar - The Devil's Den disse...

Não há nada como comunicação, ensina-o e aprende...

"O manto da noite escura abafa
O gemido que a boca dela cala
Mas que a sua pele consente
Pelos poros abertos na quentura do corpo dele.
Há um novo alfabeto e uma nova linguagem
Que ambos têm a aprender".

Poema de Alexandre Homem Dual*
*Alterónimo de Valter E., co-gestor do Projecto DRACULEA